Rede Lopes

Estamos conectados ao maior banco de imóveis compartilhado da América Latina.

A eletricidade está no ar

São Paulo, 4 de novembro de 2021

Uma boa notícia para o planeta vem de três grandes fabricantes de aeronaves: a Embraer já vendeu 100 modelos elétricos para a britânica Bristow, a serem entregues em 2026; a Rolls-Royce testou seu avião totalmente elétrico; e a Airbus apresentou ao público um táxi aéreo que cobre distâncias curtas em ambientes urbanos em voos silenciosos que não emitem gases poluentes.

Embraer

A fabricante brasileira Embraer teve uma excelente recepção quando anunciou a parceria com a Bristow: suas ações tiveram uma valorização de 12,16%. Os veículos eVTOL (sigla em inglês para decolagens e poucos na vertical) foram criados pela Eve, subsidiária da Embraer responsável por buscar soluções tecnológicas sustentáveis e inovadoras. Os modelos têm uma aparência de drone, com hélices rotativas e motores na traseira, e prometem voos verticais elétricos com emissões zero de carbono e custos operacionais mais baixos. Os primeiros testes foram feitos em 2020. Em outubro, o modelo a ser produzido em escala foi testado com sucesso. Num primeiro momento, a aeronave terá pilotos, mas no futuro poderá voar de forma autônoma.

Rolls-Royce

A empresa britânica do ramo de aviação civil e militar, que se separou da fabricante de carros desde 1971, celebrou em setembro deste ano o voo de 15 minutos de sua aeronave totalmente elétrica, batizada de Spirit of Innovation. Segundo a Rolls-Royce, o motor é impulsionado pela bateria mais potente já criada e a intenção, nos próximos testes, é a de quebrar um novo recorde mundial de velocidade. O modelo tem capacidade para apenas um passageiro, mas a fábrica já anunciou uma parceria com empresas escandinavas para produzir um avião elétrico para vários passageiros em 2026.

Airbus

Também em setembro, outra gigante do setor, a Airbus, lançou um táxi aéreo elétrico com capacidade para quatro passageiros que cobre distâncias curtas com rapidez e sem emitir gases do efeito estufa. Batizado de CityAirbus NextGen, tem oito hélices e terá autonomia de voo de 50 milhas, alcançando a velocidade de 75 milhas por hora. Isso pode parecer pouco, mas em cidades super engarrafadas como São Paulo ou Nova York a aeronave poderá cumprir trajetos que exigiriam mais de uma hora de carro em apenas alguns minutos. Outro grande diferencial do modelo é o nível de ruído que emite: durante o voo, menos de 65 decibéis, e não mais que 70 durante o pouso. Nossos ouvidos agradecem!

 



Posts recentes

Um exclusivo paraíso tropical na costa australiana

Patrimônio mundial da Unesco localizada na Austrália, a aproximadamente 600 quilômetros da costa do país, a ilha Lord Howe é um verdadeiro paraíso tropical a ser descoberto e saboreado com tranquilidade. Com apenas 11 quilômetros de comprimento, 2 de largura e cerca de 380 moradores permanentes, trata-se de um dos destinos mais procurados por quem […]

Leia Mais
Wellness no mercado imobiliário

O conceito ganhou relevância quando o assunto é ativo econômico. Wellness foi umas das tendências mais aceleradas no mercado imobiliário nos últimos dois anos. Segundo o Global Wellness Institute, o mercado imobiliário de bem-estar apresenta crescimento médio anual de 6,4% desde 2015 e pode chegar a US$ 197 bilhões ainda este ano. Quando o assunto […]

Leia Mais