Rede Lopes

Estamos conectados ao maior banco de imóveis compartilhado da América Latina.

Os canais e suas histórias excepcionais

São Paulo, 29 de abril de 2021

Recentemente, o engarrafamento causado pelo navio de carga Ever Given no Canal de Suez, que liga o Mar Mediterrâneo ao Mar Vermelho, no Egito, chamou a atenção sobre a hidrovia, uma das principais do mundo. Empresas de transporte marítimo, seguradoras e autoridades governamentais ainda não conseguiram calcular as perdas dessa crise, que custou ao governo egípcio 90 bilhões de dólares só em receitas de pedágio.

As mercadorias que atravessam esse atalho que liga a Europa e a Ásia respondem por cerca de 12% da economia do planeta. Sem o canal, os cargueiros teriam de contornar a África, cumprindo uma rota de oito a dez dias mais longa e com quase 9 mil quilômetros de extensão, em contraponto aos 200 quilômetros do canal.

Não é a toa que registros históricos apontam que a primeira versão do canal teria sido feita por volta do século XII a.C., e batizada de Canal dos Faraós. Em 500 a.C, quando o rico Império Persa conquistou o Egito, outra versão teria sido construída. Depois disso, o canal foi destruído e reconstruído até ganhar sua forma mais recente, em 1869, após uma obra de dez anos. Em 2015, passou por uma duplicação e expansão que custou 9 bilhões de dólares. Infelizmente a área onde o Ever Given encalhou não foi duplicada, o que acabou por causar todo o transtorno e engarrafamento de embarcações.

Outros canais construídos pelo homem facilitam o comércio marítimo e as expedições turísticas pelo mundo. Selecionamos outros três que têm histórias interessantes: Corinto, Panamá e Midi.


Canal de Corinto

É impressionante: dois dois lados, paredes altíssimas de pedra, abaixo o mar, e deslizando sobre as águas grandes barcos turísticos que ficam a um triz de colidir nas laterais do canal. São 6,3 quilômetros de extensão, 40 metros de altura e apenas 24 metros de largura separando a região do Peloponeso e a Grécia continental.

Escavado na rocha entre os anos de 1881 e 1893, o Canal de Corinto é uma daquelas obras que nos fazem admirar a engenhosidade humana. Foram retirados 930 mil metros cúbicos de pedra e terra para formar a via marítima, que hoje é uma atração turística e permite que barcos de passeio deixem de fazer toda a volta na península do Peloponeso para deslocar-se entre o golfo de Corinto e o Mar Egeu.

Curiosidade sobre o canal: o imperador Nero teria viajado à região e escavado com sua própria picareta para impulsionar o projeto do canal no ano 67 d.C. Seu sucessor não levou os planos adiante. Outro momento que colocou holofotes sobre a hidrovia foi a passagem do barco Braemar, em outubro de 2019. Um vídeo mostrando o navio, de 22,5 metros de largura, quase encostando nas laterais de pedra viralizou no mundo inteiro.

 

Canal do Panamá

A ligação entre os oceanos Atlântico e Pacífico tem 77,1 quilômetros de extensão e foi inaugurada em 1914, revolucionando o comércio marítimo do mundo. No final do século XIX, para transportar uma carga de Nova York, na Costa Leste dos Estados Unidos, até São Francisco, na Costa Oeste, os barcos deveriam descer até a América do Sul e contornar o Cabo Horn, navegando por mais de 22 mil quilômetros.

O Canal do Panamá tem um sistema de eclusas que foi modernizado entre 2007 e 2016 para comportar navios com o triplo do tamanho em relação à capacidade anterior. O Panamá, que controla o canal, ganha 1,7 bilhão de dólares por ano com o empreendimento, que começou a ser construído em 1881 pelos franceses. Eles abandonaram a obra depois de perder quase 22 mil operários por febre amarela, malária, um terremoto e deslizamentos. Os Estados Unidos retomaram a construção em 1903 e controlaram a passagem até 1999, quando a administração passou a ser do Panamá.


Canal do Midi

Inaugurada em 1681 sob o reinado de Louis XIV, o famoso Rei Sol, a hidrovia de 240 quilômetros liga o Rio Garonne ao Mar Mediterrâneo. É o mais antigo canal em funcionamento na Europa e hoje atrai turistas do mundo inteiro em busca das belas paisagens do interior francês. Os visitantes podem alugar um barco ou pedalar na ciclovia que margeia o canal em alguns trechos.

 



Posts recentes

Fazenda Boa Vista: casas de campo para viver o melhor da vida

Casas extraordinárias próximo à capital paulista que são um refúgio para o relaxamento Não há dúvidas sobre o quanto pode ser desgastante manter uma rotina de compromissos em grandes centros urbanos como São Paulo. Ter um refúgio particular, mais especificamente uma casa de campo em São Paulo, onde o acesso é fácil, com deslocamento tranquilo, […]

Leia Mais
Um exclusivo paraíso tropical na costa australiana

Patrimônio mundial da Unesco localizada na Austrália, a aproximadamente 600 quilômetros da costa do país, a ilha Lord Howe é um verdadeiro paraíso tropical a ser descoberto e saboreado com tranquilidade. Com apenas 11 quilômetros de comprimento, 2 de largura e cerca de 380 moradores permanentes, trata-se de um dos destinos mais procurados por quem […]

Leia Mais